Você sabia que cada tipo de macarrão combina com um molho diferente?

Massas e molhos, você sabe qual é a melhor combinação entre eles? A verdade é que uma boa massa tem o espaço reservado nos almoços de família do fim de semana, seja com molho branco, à bolonhesa ou um delicioso macarrão de forno. Entenda como deixar esse prato ainda mais saboroso unindo os tipos de massa com os molhos mais indicados!

O tradicional prato da Itália se tornou uma grande influência na culinária brasileira, seja para uma refeição mais sofisticado ou como uma opção prática em um dia mais agitado. Fácil e rápido de preparar, para os italianos a massa é mais do que isso, é uma união de formato, tamanho, tempero e tipo de molho que irá compor melhor a receita. Segundo o chef de cozinha Pedro Aguiar, algumas regrinhas são básicas na hora de preparar o seu macarrão.

"As massas curtas (fusili, penne e conchinha), combinam mais com molhos encorpados, tipo mediterrâneo, com pedaços de tomate, já que com as curvas da massa e os buracos, o molho penetra e fica mais saboroso de comer. Essas massas podem até ser recheadas com ricota, por exemplo. No caso das massas longas (espaguete, talharim e linguine), o ideal é o molho à bolonhesa, ao sugo ou pesto, são molhos mais líquidos e facilitam para puxar a massa com a boca (uma tradição na Itália)", explica o profissional.

"Há uma diferença entre as massas frescas (feitas em casa) e as massas secas (industrializadas). No caso das massas adquiridas no mercado, é interessante investir em molhos mais temperados, que levem azeite e alho para dar mais sabor ao prato", completa o chef. Aguiar também separou uma lista com as massas e molhos que combinam mais entre si, confira abaixo.

Tipos de macarrão e os molhos mais adequados

- Espaguete e linguine: O ideal são molhos mais líquidos, encorpados, porém não tão cremosos. Ex: Pesto, sugo, bolonhesa, frutos do mar, bechamel. Eles se incorporam melhor nesse tipo de massa longa.

- Fusili e penne: São massas curtas, com curvas e buracos. Combinam bem com os molhos cremosos à base de queijo, saladas e os molhos refogados à base de vegetais.

- Ravioli e conchiglione: São massas recheadas, boas para gratinar ou servir em sopas. As melhores combinações de molhos para acompanhar são: Ao sugo, bolonhesa, bechamel e manteiga de ervas.

- Talharim: Assim como o espaguete e o linguine, o talharim é classificado como massa longa. Combina bem com molho carbonara, que é um molho cremoso, alfredo, ragu e frutos do mar.

- Cabelo de anjo: Muito conhecido por fazer parte de sopas e ensopados, o cabelo de anjo pode ser uma boa opção se servido recheado e gratinado ao forno.

- Caneloni: Na maioria das vezes é servido recheado. Boas opções são o molho bechamel, sugo e gratinado.

Como preparar a massa de maneira correta?

Pedro Aguiar indica a melhor maneira de cozer o macarrão para o preparo do prato. Confira:

"Independente de ser massa fresca ou seca, o tradicional jeito de cozinhar a massa é: Muita água e acrescentar sal, a ponto dela ficar salgada como a água do mar. E o tempo, é interessante seguir o tempo da embalagem (caso seja massa seca), mas geralmente de 8 a 12 minutos, no máximo, sendo o ideal para ela ficar 'al dente'. Não elimine toda a água do cozimento e reserve um pouco para incluir no molho final, isso é importante para a massa não ficar seca ou grudenta", explica o chef.

"Atenção: Não se coloca óleo na água, pelo simples fato de que o óleo não se mistura com a água, logo, o óleo não penetra na massa. O ideal é, após a retirada do macarrão, acrescentar o azeite para a massa não grudar", reitera o profissional.

Cuidado com o abuso do queijo parmesão:

Para os amantes de queijo que não podem se deparar com um prato de massa que já acrescentam o queijo ralado, o Chef Pedro Aguiar alerta: " Mesmo sendo extremamente saboroso e agregando sabor ao prato, deve haver um equilíbrio de sabores entre a massa, o molho e o queijo. O parmesão em excesso pode inibir o tradicional sabor do macarrão!", finaliza.

Ver mais: Alimentação saudável

Últimas matérias