Reeducação alimentar: Por onde começar?

Reaprender, em certos casos, pode ser ainda mais difícil do que aprender. Em relação à alimentação, por exemplo, com certeza essa tese faz sentido, pois, a grande maioria das pessoas, atletas ou não, necessitam urgentemente de uma reeducação alimentar para acompanhar os hábitos do dia a dia e o bom funcionamento do organismo.

Atualmente, cada vez mais, ouvimos falar de dietas ou regimes milagrosos, viram modas, e que são baseadas em um alimento novo. A maioria desses métodos são geralmente de curto prazo e resultam em emagrecimento, mas por não durarem muito tempo, decorre no famoso efeito sanfona, onde a pessoa recupera todo o peso. Justamente por isso, a reeducação alimentar, acompanhada sempre de um profissional da área, é a chave para a adoção de novos hábitos alimentares saudáveis, como explica a nutricionista Sara Bortoluz:

"O nutricionista vai auxiliar o paciente a fazer escolhas alimentares saudáveis e tornar isto um hábito, que se encaixe na sua rotina e não algo que tenha início e fim, ou que é esquecido no final de semana. Dessa forma, consequentemente vem a perda de peso, melhora da saúde e sintomas decorrentes da má alimentação, redução dos perfis lipídicos, glicêmico, pressóricos e aumento da disposição. O indivíduo passa a ter a autonomia e ser responsável pelo seu autocuidado, sabendo discernir sobre o que a indústria e a mídia lançam a todo o momento", destacou a profissional, que nos deu um panorama de como devemos implementar uma nova alimentação.

Como iniciar uma reeducação alimentar?

– Quais aspectos devemos levar em consideração para começarmos uma reeducação alimentar?

"É fundamental para o início do processo de reeducação alimentar a motivação e ter em mente qual o seu objetivo. Além do esforço e dedicação. Claro que os deslizes acontecem, por isso é essencial o auxílio de um nutricionista. A reeducação não é fácil, por isso o processo deve ser lento e gradual. Lembre-se: é uma mudança para a vida toda, não precisa ter pressa! A pressa gera mais ansiedade e a chance de desistir aumenta."

– Mudanças de hábitos e costumes de vida também fazem parte da reeducação alimentar (atividades físicas, por exemplo)?

"Sim. A reeducação alimentar é um processo que está interligado com a mudança do estilo de vida, que envolve outras ações, como mudança de comportamento alimentar, prática de atividade física, abandono de tabagismo, controle do stress, qualidade do sono, controle de doenças, a fim de otimizar os resultados benéficos da mudança alimentar, melhorar a saúde e a qualidade de vida."

– Há hipótese de uma pessoa que tenha uma alimentação e hábitos saudáveis precisar de reeducação alimentar?

"Sim. Dependendo do caso, pode ocorrer de a pessoa ter uma alimentação adequada, porém pode apresentar alguns sintomas que a incomodem, como pode ser o caso de intolerâncias alimentares, constipação. É importante também atentar para o caso de interação de nutrientes, pois há alimentos que bloqueiam, reduzem ou aumentam a absorção de vitaminas e minerais. Com a melhor orientação nutricional é possível potencializar os efeitos benéficos dos alimentos."

Dicas para uma reeducação alimentar


- Reflita da onde vêm os alimentos que você consome. Sem dúvida os alimentos que vêm da natureza, os orgânicos, são muito mais nutritivos.

- Faça dos alimentos in natura ou minimamente processados a base da sua alimentação. Limite os processados e evite os ultraprocessados. Essas são recomendações do Novo Guia Alimentar para a população Brasileira, do Ministério da Saúde.

- Fique de olho no rótulo dos alimentos. Desconfie de enormes listas de ingredientes, principalmente os que você não faz ideia do que seja.

- Não se preocupe apenas com as calorias que você consome, mas sim com a qualidade nutricional dos alimentos.

- Saia do sedentarismo. Pratique uma atividade física que você goste!

Ver mais: Alimentação saudável, Principais matérias, Bem-estar

Últimas matérias