Oleaginosas: Confira os benefícios dessas fontes de ômega 3 para as nossas vidas

Quando falamos em ômega 3, os primeiros exemplos que nos vêm a mente são os frutos do mar. Contudo, uma série de outros alimentos também são poderosos nesse nutriente. As oleagionosas (grupo formado pelas castanhas, nozes, amêndoas, etc), possuem grande quantidade desse componente, tão essencial para a nossa saúde.

O ômega 3 é um ácido graxo que o nosso organismo não consegue produzir sozinho, por isso, é tão necessário buscá-lo através de suas fontes alimentares, como é o caso das oleaginosas: castanha do pará, castanha de caju, pinhão, pistache, macadâmia, nozes, avelãs e amêndoas, que, segundo a nutricionista Luciana Fiorese, proporcionam os mais diversos benefícios:

"As oleaginosas também atuam como antioxidantes (combatendo os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento), já que possuem boas quantidades de selênio e vitamina E. Ainda previnem o corpo das dolorosas cãibras, devido à presença de minerais como o potássio e o magnésio, além de auxiliar na redução do colesterol ruim. Apesar dessas oleaginosas serem ricas em gorduras, isso não significa malefícios para a saúde por serem do tipo insaturadas conhecidas também como a gordura do bem", destaca a profissional.

Confira os benefícios de 8 oleaginosas!

- Castanha do Pará: Extremamente nutritiva, as castanhas ajudam a proteger o coração por ser rica em ômega 3, já que age diminuindo os níveis de colesterol "ruim" e aumento o colesterol "bom", auxilia no combate ao câncer e graças a presença do selênio em sua composição, contribui com o desenvolvimento cognitivo.

- Castanha de caju: Fonte de minerais e fibras, além do ômega 3, a castanha de caju ajuda a fornecer energia para o corpo, combate ao câncer e tem ações altamente positivas no sistema casdiovascular, reduzindo os riscos das doenças cardíacas. Além disso, contribui para amenizar os sintomas da TPM e da menopausa, já que induz o bom humor.

- Pinhão: Conhecido por manter saudável a saúde do coração, o pinhão é rico em vitaminas E e K, além dos minerais como ferro, cobre e manganês. Atua em prol da saúde dos olhos e tem ação antioxidante, prevenindo o envelhecimento precoce.

- Pistache: Além do ômega 3, o pistache é rico em potássio, magnésio e ferro que ajudam a controlar a pressão arterial, contribui para a nossa saúde óssea, previne o diabetes e auxilia na melhora do nosso sistema imunológico.

- Macadâmia: Nutritiva e com um sabor amanteigado, a oleaginosa é uma boa fonte de vitaminas do complexo B, além dos minerais como selênio, ferro, cálcio, cobre e zinco. Com tantas propriedades, a macadâmia auxilia no emagrecimento, previne alguns tipos de câncer como o de útero, mama e estômago e beneficia o intestino por também ser rica em fibras.

- Nozes: Mais que o ômega 3, as nozes também são ricas em ômega 6 que ajuda a controlar os níveis de colesterol. Além disso, beneficiam a saúde cardiovascular, ajudam na prevenção do câncer de próstata, melhora a qualidade do sêmen masculino e proporciona boas noites de sono.

- Avelãs: Ganham um destaque maior na época do Natal, as avelãs possuem um sabor único e inconfundível. Rica em cálcio, magnésio e fibras, as avelãs contribuem para o bem-estar da saúde cardiovascular, protege as articulações e os ossos, além de auxiliar no trato do sistema digestivo.

- Amêndoas: Uma das mais populares, as amêndoas são fontes de diversos nutrientes benéficos para o nosso organismo, entre eles: os agentes antioxidantes, as fibras, vitamina E, cálcio, fósforo e magnésio. Seu consumo aumenta os níveis de energia, beneficia a saúde cardiovascular, previne o câncer e melhora o desenvolvimento do feto durante a gestação.

Equilíbrio alimentar é essencial para a ação nutricional das oleaginosas

Segundo a Dra. Luciana, apesar de extremamente nutritivo, por causa do alto valor calórico, é preciso ter cuidado com o excesso: "Como sempre falo: tudo que passa da normalidade, passa a não ser um benefício e sim prejudicial para sua saúde. Quando consumido em exagero, a "gordura do bem" passa a ser o vilão da dieta, trazendo ao aumento de peso. Por isso, o consumo deve ser moderado, limitando-se a poucas unidades por dia", alerta a profissional, enfatizando a melhor forma de consumir essas delícias:

"A melhor forma de se consumir esses alimentos é de forma natural, sem a adição de sal. Minha dica para inserir no dia a dia é na forma de mix, uma vez por dia, in natura ou adicionada no iogurte ou cereais matinais, não sendo mais que uma porção para que a "gordura do bem" se torne um inimigo!", finaliza a nutricionista.

Ver mais: Alimentação saudável, Alimentos ricos em ferro, Vitamina C, Principais matérias

Últimas matérias