Como entender o rótulo dos alimentos? Educação para o consumo saudável!

Para manter os mandamentos de uma dieta saudável é fundamental conhecer os alimentos ingeridos durante as refeições, e principalmente saber quais são as propriedades nutricionais destes alimentos. Pensando nisso, em 2003, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tornou obrigatória a veiculação de rótulos nutricionais fixados nas embalagens dos produtos. Neste rótulo devem estar o valor energético e a quantidade de carboidratos, proteínas, gorduras, fibras e sódio presente no alimento. Já as informações sobre presença de vitaminas, são opcionais.

Mas, para essas informações sejam proveitosas e úteis na sua dieta, é preciso compreender o significado de cada item estipulado no rótulo. Uma dica importante é conhecer o "Manual de orientação aos consumidores- Educação para o Consumo Saudável" , publicação da Anvisa, que tem como objetivo estimular o entendimento das informações veiculadas nos rótulos dos alimentos. A pratica da leitura dos rótulos vai contribuir com a melhoria da saúde e qualidade de vida dos brasileiros. Além do manual completo, a Anvisa veicula também o Guia de Bolso, que destacamos algumas informações mais importantes.

Entenda os itens de informação obrigatória no rótulo nutricional das embalagens de alimentos:

Valor Energético: As tão faladas calorias. É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente de carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem nutricional, o valor energético é expresso em forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ).

Porção (em g ou ml): Significa a quantidade média recomendada para consumo, visando uma alimentação saudável. Um erro é achar que corresponde ao alimento inteiro. Em geral é calculado por gramas. Exemplo: um pacote com 100 g de queijo ralado pode conter uma tabela nutricional baseada em uma porção de 40 g. Para saber a quantidade ingerida, neste caso, seria necessário multiplicar os valores do rótulo por 4.

Carboidratos: São os componentes dos alimentos cuja principal função é fornecer energia para as células do corpo, principalmente do cérebro. São encontrados em maior quantidade em massas, arroz, açúcar, mel, pães, farinhas, tubérculos e doces em geral.

Proteínas: São os componentes dos alimentos necessários para a construção e manutenção de nossos órgãos, tecidos e células. Encontramos proteínas nas carnes, ovos, leites e derivados e também nas leguminosas (feijões, soja e ervilha).

Gorduras Totais: As "gorduras boas", lipídios, são as principais fontes de energia do corpo e ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. As gorduras totais referem-se à soma de todos os tipos de gorduras encontradas em um alimento, tanto de origem animal quanto de origem vegetal.

Gorduras Saturadas: Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal. São exemplos: carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga, requeijão e iogurte. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Altos %VD significam que o alimento apresenta grande quantidade de gordura saturada em relação à necessidade diária de uma dieta de 2.000 Kcal.

Gorduras Trans (ou Ácidos Graxos Trans): Tipo de gordura encontrada em grande quantidade em alimentos industrializados, como as margarinas, cremes vegetais, biscoitos, sorvetes, snacks (salgadinhos prontos), produtos de panificação, alimentos fritos e lanches salgados que utilizam as gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação. O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, considerando que o nosso organismo não necessita desse tipo de gordura e ainda porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Não se deve consumir mais que 2 g de gordura trans por dia.

Fibra Alimentar: Está presente em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino. Procure consumir alimentos com altos %VD de fibras alimentares.

Sódio: Está presente no sal de cozinha e em alimentos industrializados (salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos, produtos enlatados com sal moura), devendo ser consumido com moderação, uma vez que o consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial. Evite os alimentos que possuem altos %VD em sódio.

Ver mais: Alimentação saudável, Bem-estar, Principais matérias

Últimas matérias