Alimentos transgênicos: O que são? Entenda as suas vantagens e desvantagens

Você conhece os alimentos transgênicos? Feitos em laboratórios pela ciência alimentar, mais precisamente a nutrigenômica, esses produtos são, diariamente, alvos de muitos estudos e pesquisas que questionam as suas qualidades para a saúde. Por isso, antes de sair consumindo ou aderindo "modas", é importante entendermos o que de fato são esses alimentos, suas características e as vantagens e desvantagens nutricionais.

Os alimentos transgênicos, ou artificiais, como também são chamados, são aqueles que passaram por algum processo de transformação tecnológica em sua composição natural, o famoso DNA. Ou seja, eles são criados a partir de sementes geneticamente modificadas, onde são acrescentados gens para que os alimentos apresentem determinadas características e se tornem mais resistentes às pragas, tendo maior durabilidade no mercado.

Os alimentos transgênicos mais comumente encontrados, inclusive no Brasil, são os derivados da soja e do milho (óleo de soja, farinha de milho, canjica, fubá, etc). Eles devem conter uma sinalização na embalagem informando que são geneticamente modificados. Segundo a nutricionista Patrícia Bertoni Brotherhood, esses alimentos ainda estão em estudo e precisam ser acompanhados:

"Os alimentos transgênicos são fiscalizados pelo FDA (órgão fiscalizador de medicamentos e alimentos nos EUA) e no Brasil eles são proibidos, embora tenhamos produtos que podem ter ingredientes transgênicos das sementes de origem e isso não tem fiscalização suficiente", explica a profissional.

Os alimentos transgênicos são saudáveis?

Criados com o intuito de melhorar a qualidade de vida das pessoas e diminuir o desperdício alimentar, os alimentos transgênicos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), Organização Mundial de Saúde, são seguros e não apresentam riscos à saúde, contudo, é preciso estar atento ao consumo. Segundo a nutricionista Patrícia, é preciso ter cuidado, pois, embora não fosse comprovado, eles estão associados ao desenvolvimento de reações alérgicas e outras doenças.

"Não sabemos e nem temos segurança dos impactos no corpo humanos, na resistência aos antibióticos, na cadeia alimentar referente aos insetos e pragas devido à resistência aos pesticidas", alerta a profissional.

Prefira sempre os alimentos orgânicos. Eles são livres de agrotóxicos

Mas, apesar da ciência alimentar se superar a cada ano e os avanços tecnológicos mostrarem uma constante evolução e eficácia em seus experimentos, não existe nada melhor do que aquilo que vem da terra, da natureza. Os produtos orgânicos, livres de componentes tóxicos, como os agrotóxicos ou qualquer outra interferência externa, são os mais aconselháveis para o consumo diário, pois conseguem manter suas composições intactas, sendo mais saborosos e nutritivos para a saúde.

*Patrícia Bertoni Brotherhood (CRN 101586) é nutricionista especializada em gestão de qualidade e segurança de alimentos e atua na prescrição de fitoterápicos e suplementação. Formada pela UNIRIO, a profissional disponibiliza suas redes sociais para contato e informações: Instagram

Ver mais: Alimentação saudável, Alimentos orgânicos

Últimas matérias